Dicas de viagem: Restaurantes em São Paulo 2016

Depois de milênios sem escrever nada, decidi voltar porque minha última viagem para São Paulo foi muito legal! Conheci lugares novos (sempre tem uma novidade por lá, não é verdade?) e precisava compartilhar com o mundo haha.

Vou por partes. Hoje vou falar dos restaurantes e em outra oportunidade falo das compras e passeios.

Restaurantes

Almanara – Shopping Patio Jardim

img_4584

Começamos a parte gourmet da viagem indo nesse restaurante árabe. Fomos na unidade que fica no Shopping Cidade São Paulo, mas tem em outros lugares também. Além de super bem atendidas, uma coisa que eu achei fenomenal foi a rapidez. A gente estava com o tempo contado porque tínhamos marcado de assistir My Fair Lady 17h e chegamos muito tarde no restaurante. O cardápio foi fácil de entender, cada uma fez logo seu pedido e em 15 minutos a comida já estava na nossa mesa. Não dá nem pra dizer que foi porque o restaurante estava vazio, porque não estava. Inclusive, ficamos numa lista de espera por alguns minutinhos antes de conseguirmos uma mesa e como éramos um grupo de sete pessoas, tivemos que sentar separados (até porque a gente não podia esperar mais tempo por uma mesa maior, o que normalmente faríamos numa situação como essa). Falando da comida, que delícia!

Eu dividi uma kafta que acompanhava um porção de tabule (R$47,20) e pedimos um porção extra de cuscuz marroquino (R$25,90) para todo mundo (éramos quatro). A kafta vinha em dois espetos, então eu comi um e minha companheira de viagem comeu o outro. Para nós duas foi o suficiente, mas talvez um homem comesse sozinho tranquilamente hehe Minha irmã pediu um kibe assado (R$34,20) que não vinha com acompanhamento e minha mãe pediu uma abobrinha recheada (R$38,40), que na verdade eram três abobrinhas gigantes… Dava para repartir tranquilamente também. O kibe foi o único prato que eu achei que servia só uma pessoa, mas minha irmã comeu com cuscuz e ficou satisfeita.

Cão Véio


Esse lugar foi maravilhoso em muitos aspectos. Para contextualizar, a nível de curiosidade, esse é um dos restaurantes do chef roqueiro e charmoso do Master Chef, Henrique Fogaça. Com uma pegada bem rock n roll, o restaurante é uma ótima opção. De todos os restaurantes que a gente foi, esse é um dos meu favoritos. Eu comi bem e não saí querendo morrer por ter comido demais. Escolhemos participar do menu executivo – você paga o preço do prato principal + R$7,00 e come também entrada e sobremesa. Eu pedi um creme de ervilha de entrada, prato australiano como prato principal (é uma carne angus com vegetais e batata canoa) e uma sobremesa de banana que estava SENSACIONAL.

 

As porções são individuais e podem parecer pequenas, mas, como eu disse, eu me senti super satisfeita ao final. Sem aquela sensação de estar “empanturrada”. Minha refeição completa saiu a R$41,00. Além disso, bebi uma soda italiana de blueberry que também estava muito gostosa. A dica é: chegue cedo ou faça sua reserva antecipadamente. O restaurante abre meio dia e nós chegamos lá 12h30, se não estou enganada. Quando chegamos o lugar já estava lotado porque tinham muitas reservas. O tempo que a gente demorou decidindo para onde íamos foi o tempo que o garçom verificou um cancelamento de uma das reservas, aí conseguimos entrar. As reservas são feitas pelo próprio site, de acordo com o que o garçom explicou.



Go natural X Suco Bagaço


Eu já conhecia o Suco Bagaço e aqui você pode ler mais sobre ele. Entretanto, dessa vez, tivemos a experiência de ir em outro lugar que também vende salada e pratos mais saudáveis. O esquema da Go Natural é o mesmo do Suco Bagaço. Você paga um valor fixo e monta sua salada como preferir – escolhe a proteína, as folhas, acompanhamentos e etc. tem também pratos prontos, como macarrão. Para nossa surpresa, o Go Natural foi uma opção muito mais interessante que o Suco Bagaço e ganhou a disputa pela variedade e quantidade de opções que você pode escolher. No Suco Bagaço são apenas três acompanhamentos (ervilha, milho, queijo, tomate, cenoura, beterraba, etc) que você pode escolher. Não lembro quantas eram no Go Natural, mas eram mais de certeza hehe.


Um ponto negativo do Go Natural é que o mesmo rapaz que estava recebendo os pedidos no caixa era quem montava a salada, ou seja, a gente teve que esperar todo o grupo fazer o pedido para depois ele começar a montar os pratos, mas isso pode ser algo que aconteceu só com a gente, até porque o shopping estava para fechar quando fizemos o pedido. Outro ponto de vantagem do Suco Bagaço são os sucos. A variedade é enorme e são deliciosos. Quanto ao preço, o Go Natural sai na frente. Além da salada ter mais  ingredientes no prato, o preço é menor. Em ambos os restaurantes a porção é MUITO bem servida. É um exagero até, honestamente falando… Eu sempre tenho dificuldade de comer tudo, vai chegando no final e não tem mais espaço na sua barriga, aí você lembra que é salada e que é feio estragar comida e, então, consegue terminar hahaha

Padaria da Esquina

A notícia ruim, de cara, é que não anotei os preços dos pratos hahaha Mas vamos lá… Existem muitas padarias em São Paulo e essa é uma das que vale a pena visitar. Fomos no feriado de finados, chegamos cedo, algo entre 9h00 e 9h30, e logo conseguimos uma mesa. Garçons super atenciosos montaram uma mesa na área externa para o nosso “pequeno” grupo de oito pessoas. Primeira coisa que aprendemos foi: é uma padaria portuguesa, ou seja, não peça pão italiano haha Outra coisa, as madalenas são bolinhos de laranja com raspas de limao, uma delícia, mas não confundam com as madeleines francesas. De novo, é uma padaria portuguesa! Eu pedi uma omelete de tomate, presunto e queijo que acompanhava pão torrado. Porção bem servida e saborosa. Você também pode optar por cancelar o pão torrado (feito na própria padaria) e pedir uma porção extra de algum outro pão da casa – minha tia pediu um pão mouro que estava com uma cara muito boa. Uma das pessoas que estava com a gente queria salada de frutas, mas não tem no cardápio. Apesar de eles venderem as porções individuais de frutas, ele não vendem a salada. O cardápio é meio difícil de entender porque os nomes de alguns pratos são bem desconhecidos e em pratos que seriam comuns eles usam alguns nomes diferentes, então é bom pedir pro garçom explicar direitinho o que é o que antes de fazer o pedido. Um exemplo disso é uma prato chamado Tiborna, que é um pão embebado em azeite que acompanha alguns vegetais (no da pessoa que estava no nosso grupo vinha berinjela, abobrinha e mais alguma coisa com queijo por cima). O prato é enorme! A xícara do café e das outras bebidas quentes possui um tamanho bom, não é daquelas minúsculas que você mal consegue dar o primeiro gole sem acabar com a bebida. Eu pedi um chocolate quente e fiquei muito feliz com ele. O ambiente é muito agradável. Estava um dia ensolarado, mas não estava quente e no caso de chuva eles avisaram que abririam o toldo. Tinham muitas famílias, então é um lugar bem tranquilo mesmo. Uma dica (e curiosidade): apesar do nome da padaria ser Padaria da Esquina, ela não fica na esquina. Então quando estiver chegando, não procure na esquina! Hahaha

Eataly

Fechamos as comilanças nesse restaurante/mercado italiano. Além de poder comer, você também pode comprar temperos, chocolates, bolos, queijos, utensílios de cozinha e etc. O preço das coisas é bem salgadinho, mas comprar uma coisa ou outra não vai matar ninguém hehe A parte do restaurante é divida por “tipos” de comida: peixes, massas, carnes. Você escolhe o que quer comer e entra nessa sessão. Escolhemos peixe e eu fui no prato do dia. Bebi soda italiana de limão e estava muito gostosa.


Os preços dos pratos variam de R$40-70. São porções individuais MESMO e quase todas precisam de acompanhamento, então no final sai uma refeição bem carinha. Apesar de ter gostado do meu peixe, eu gostei mesmo foi do risoto de frutos do mar da minha irmã. Estava muito bom!


O meu prato achei mais simples, mais sem graça um pouco. Pedimos também um arroz negro que estava gostoso e minha mãe comeu feliz o salmão dela.


O cardápio é beeem confuso (ou eu sou lentinha mesmo). Os nomes dos pratos são em italiano, mas embaixo deles tem a descrição, o que ajuda, ainda assim, tive que ler umas três ou quatro vezes antes de escolher meu prato – e nem gostei tanto haha. Estava lotado também, mas talvez tenha sido assim porque era feriado. A sobremesa decidimos comer no andar térreo (a parte da comida fica no segundo andar).


Tem bastante opção de doces, mas achei meio inconveniente a forma como se faz o pedido. Primeiro você tem que pagar e depois pega o doce, mas a vitrine com os doces fica depois do caixa. Aí fica aquele amontoado de gente querendo olhar a vitrine junto com o pessoal que já comprou e está pegando o pedido. Os preços dos doces variam de R$12-19. São pequenos em sua maioria, mas o suficiente para uma pessoa ou duas, dependendo da vontade de comer sobremesa de cada uma. Resumindo, o local é legal, bem agradável e a comida é gostosa, mas os preços são mais salgados em relação ao tamanho das porções e devido a necessidade de pedir acompanhamento, o que acaba encarecendo o valor final. É com certeza um lugar mais fino haha

Yes Veggies Delivery – iFood

Em uma das noites que decidimos comer em casa, pedimos nosso jantar da Yes Veggie, pelo ifood. Eu não conhecia o restaurante, mas a gente queria uma coisa mais leve. Minha mãe pediu hambúrguer de quinoa que acompanhava uma salada de grão de bico (R$38) e minha tia pediu um raviole de espinafre e porções extras de tabule e molho caprese (R$56) e pelo valor dos pratos achávamos que daria para dividir, mas para minha surpresa, não dava! O hambúrguer de quinoa da minha mãe me assustou. Era bem pequeno e magro haha Honestamente, achei as porções muito pequenas. Estava tudo gostoso, não reclamo do gosto, mas o preço era alto para um prato tão pequeno. PEQUENO. Hehehe O custo-benefício não valeu muito não na minha opinião.

Harabenno Delivery

Enquanto a gente estava na onda vegana, minha irmã pediu uma carne com salada e guacamole de um restaurante mexicano (que eu quase pedi burritos pra mim) e foi morta de feliz. Veio bastante salada e um pedaço muito bom de carne (R$36), que estava gostosa! Esse valeu bem mais do que o Yes Veggie. Talvez eu seja uma mexicana melhor que uma vegana after all.

E esses foram os restaurantes novos que eu conheci em São Paulo dessa vez. Ainda existem muitos outros que eu quero conhecer e até aceito dicas. Espero que você sejam tão felizes quanto eu sou quando viajo para lá. E, para fechar, deixo uma das frases usadas no restaurante Eataly…

Anúncios

2 comentários sobre “Dicas de viagem: Restaurantes em São Paulo 2016

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s